Para melhor visualização do site, utilizar navegador Google Chrome.

Blog

Um de nós?

28 de junho de 2012
Tempo de leitura: 2 minutos

Doutores da Alegria

Comentario 3
Compartilhar 0

A primeira coisa que vem à cabeça de toda e qualquer pessoa – artista ou não – que deseja ser palhaço é ingressar em uma escola de circo, fazer um curso de teatro ou estudar música. Mas existem pessoas que já nascem com um chip, ou melhor, um dom e às vezes nem sempre esse dom é desenvolvido.

Dr.Dud Grud

Eu, Dr. Dud Grud, quando criança queria ser jogador de futebol. E fui viu, dos bons! Desde pequeno já demonstrava tal habilidade e só não cheguei a ser profissional porque a vida foi me colocando no caminho da arte e de lá não saí mais.

Este mês conheci um palhaço nato, e foi um encontro assim pei buf! Eu e a Dra. Monalisa chegávamos à Oncologia tocando um carimbó (ritmo típico do norte) quando apareceu o D., de aproximadamente três anos.

Ele nos olhou dos pés a cabeça. Paramos de tocar a música nesse momento e ele começou a dar ordens nos palhaços apontando com o dedo para cima e para baixo em uma língua muito particular que só ele e a gente entendia:

Bó, Bó, Bó!

A gente entendeu que era pra continuar tocando o carimbó. Ele começou a dançar com uma mãozinha na cintura e a outra suspensa como que segurasse a mão do ser par imaginário. O passo era o miudinho (requebrando no mesmo lugar) e o engraçado é que ele só rodava pro lado direito. Quando parávamos a melodia, lá vinha ele com o dedo pra cima:

Bó! Bó! Bó!

No quesito forró agarradinho, ele deu um show. A enfermeira que passava no corredor se surpreendeu:

Oxe! Dança melhor que eu!

Nesse rodar sempre pra direita, resolvi intervir:

Você vai ficar tonto! 

Prontamente o D. saiu andando fingindo que estava tonto! Tirou um canudo dobrado do bolso, colocou no ouvido e falou:

Alô, o cao, tá!

Guardou o seu canudo telefônico, olhou pra gente e se despediu.

Fechou com chave de ouro uma cena com início, meio e fim… Como nós palhaços!

Claro que fui logo perguntar à sua mãe quem tinha ensinado isso a ele, se tinha palhaço na família ou se ele tinha visto em algum lugar. Ela repondeu que eles moram em um engenho e que nunca tinham visto palhaço antes.

Fiquei emocionado e disse a ela que não se surpreendesse se o pequeno D. resolvesse ser um de nós quando crescesse!

Dr. Dud Grud (Eduardo Filho)
IMIP – Instituto Materno Infantil Prof. Antônio Figueira (Recife)
Maio de 2012

 



Categorias


Lá do arquivo

Doutores da Alegria


Postado em:

Tags

dom, futebol, música, palhaço

3
Deixe um comentário

avatar
3 Comentar tópicos
0 Respostas do Tópico
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Tópico de comentário mais quente
3 Autores de comentários
Beatrizfabrica de blocosCamila botega Autores recentes de comentários
  Receber notificação  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Notificação de
Camila botega
Visitante
Camila botega
Visitante

Boa tarde, gostaria de saber se tem aqui em Curitiba o curso de Doutores da Alegria?
Já faz tempo que estou a procura deste curso,
gostaria de saber mais do mesmo.

Att’ Camila Botega.

Existem 3 Comentários.